Skip directly to content

Alguém precisa frear o avanço da H1N1 em Mato Grosso do Sul, pede Beto Pereira

Por: 
Da assessoria
02/06/2016

O deputado estadual Beto Pereira (PSDB) ocupou a tribuna na sessão dessa quinta-feira, 02/06, para falar sobre o aumento dos casos de H1N1 em Mato Grosso do Sul. O vírus da gripe já matou 31 pessoas até agora em todo o Estado e segundo o deputado, muitas dessas mortes poderiam ser evitadas se houvesse planejamento por parte das administrações públicas no que diz respeito à aplicação de medidas eficazes em campanhas de imunização. 

“Estamos assistindo todos os dias os casos de desvio de dinheiro por parte de gestores públicos. E quando isso acontece, falta verba para serviços essenciais como saúde. Aliado a isso está a ausência de planejamento na aplicação de recursos e quem é penalizado é o cidadão que padece nos postos de atrás de uma dose de vacina para evitar que seja acometido por essa gripe”, afirmou Beto.

O parlamentar citou o exemplo de Campo Grande, onde a prefeitura está tendo que explicar o sumiço de 3,2 mil doses de vacina. “Até agora a Prefeitura da Capital não está conseguindo dar uma resposta para a população sobre o desaparecimento dessas vacinas. Uma hora culpa o Instituto Butantã, fabricante do remédio, outra hora os servidores. E enquanto arrumam desculpas, novos casos vão surgindo. Outras vidas são ceifadas”, disse Beto.

O deputado fez um apelo ao Governo do Estado para que assuma a linha de frente dessa batalha contra a H1N1 e que esse surto de gripe em Mato Grosso do Sul seja tratado com excepcionalidade. “Eu quero fazer um pedido ao Governador Reinaldo Azambuja para que ele tome medidas que possam frear o avanço da gripe. Sabemos que a parte formal que cabe ao Governo Estadual, que é receber as vacinas da União e distribuir para os municípios, foi feita, porém é preciso que alguém tome a frente nesse processo”, afirmou. Beto Pereira sugeriu inclusive uma compra extraordinária de mais doses de vacina e a imunização em massa da população sul-mato-grossense.

De acordo com informações da Secretaria Estadual de Saúde, 2016 está sendo o ano com mais registros de casos de morte por H1N1 desde o surgimento do vírus no Brasil. O Mato Grosso do Sul já registrou 32 óbitos até agora e 422 pessoas estão internadas com a gripe, 100 delas somente em Campo Grande.