Skip directly to content

Beto cobra melhorias no fornecimento de energia para Inocência

Por: 
Assessoria / Foto: André Maganha
14/12/2017

O município de Inocência, localizado a 312 quilômetros Campo Grade, há anos sofre com picos na energia elétrica que atingem todas as regiões da cidade. Esse problema tem se tornado constante e está causando prejuízos para a população que perde eletrodomésticos em função da interrupção abrupta da corrente elétrica. Além disso, Inocência também abriga laticínios e indústrias de produtos derivados do leite, como queijos, requeijão, leite condensado, entre outros e quando acontece a falta de energia, há prejuízos na produção.

Para tentar resolver esse problema, o deputado estadual Beto Pereira participou, junto com o prefeito de Inocência, José Arnaldo, de uma reunião com o diretor-presidente da Energisa, empresa concessionária de energia em Mato Grosso do Sul, Marcelo Vinhas, para relatar os problemas e solicitar medidas urgentes para sanar acabar com esses transtornos. “Precisamos solucionar essa questão, pois a população do município não aguenta mais os prejuízos causados pelas quedas na energia elétrica”, disse o prefeito.

A direção da Energisa marcou para fevereiro uma nova reunião, que acontecerá em Inocência, onde serão apresentados os planos de investimentos para melhorar a qualidade no fornecimento de energia elétrica na cidade. “Vamos fazer investimentos no município de inocência e com certeza, após análise dos problemas e com a aplicação de recursos os as falhas, picos e interrupções inesperadas de energia elétrica serão solucionados”, afirmou Marcelo Vinhas.

O deputado estadual Beto Pereira ressaltou a importância de um serviço eficiente de energia elétrica para o desenvolvimento de todas as regiões de Mato Grosso do Sul. “Hoje, as cidades dependem da energia elétrica para quase tudo. Nas residências, no comercio, na indústria. Em todos os setores é fundamental que tenha eletricidade disponível. Tenho certeza de que vamos resolver esse problema de Inocência com parceria e boa vontade da concessionária,” conclui Beto Pereira.